Bossa Nova


Caetano Veloso
Sozinho
Ás vezes, no silêncio da noite
eu fico imaginando nós dois
eu fico ali sonhando acordado,
juntando o antes, o agora e o depois.
Por que você me deixa tão solto?
Por que você não cola em mim?
Tô me sentindo muito sozinho!
Não sou nem quero ser o seu dono
é que um carinho às vezes cai bem.
Eu tenho os meus desejos e planos secretos
só abro pra você mais ninguém.
Por que você me esquece e some?
E se eu me interessar por alguém?
E se ela, de repente, me ganha?
Quando a gente gosta
é claro que a gente cuida.
Fala que me ama.
Só que é da boca pra fora
ou você me engana
ou não está madura.
Onde está você agora?


Negli anni Cinquanta la musica brasiliana ha visto emergere il fenomeno della "bossa nova", una forma musicale essenzialmente innestata sul samba, ma che richiama anche il jazz. Il primo compositore di bossa nova è stato Antônio Carlos Jobim, conoscitore sia della musica popolare brasiliana sia del jazz, che, insieme al cantante e chitarrista João Gilberto, fece conoscere nel mondo intero la nuova espressione musicale.
A Jobim e a Luiz Bonfá si devono le musiche del film di M. Camus Orfeo Negro, del 1959. Altri interpreti di bossa nova sono: Astrud Gilberto, Elis Regina, Chico Buarque de Hollanda. Moltissime delle liriche adattate alle composizioni musicali di questi autori sono dovute a Vinícius de Moraes, autore del dramma Orfeu da Conceição.
Attualmente la musica leggera brasiliana sta attraversando un periodo decisamente favorevole: si avanza addirittura l'ipotesi che essa possa in futuro rappresentare l'unica alternativa alla musica nordamericana. I nomi più noti (anche per il loro coinvolgimento in politica e per l'esilio negli anni '60 e '70) sono Gilberto Gil, Caetano Veloso, Toquinho, Milton Nascimento e, tra i più giovani, Ney Matogrosso.